Pensamentos rápidos da AVÓ Clarinha

“Quando falo com uma criança, ela inspira-me dois sentimentos: ternura por aquilo que é e respeito por aquilo que poderá vir a ser”

Louis Pasteur

Não gosto de muito de falar dos meus sentimentos aqui, acho sempre que as palavras são incapazes de revelar e abarcar tudo o que nos vai no peito, na alma, na cabeça e no coração, e noutros órgãos porque não? Quase sempre uso as palavras de outros, quando as encontro ou me lembro delas, que de alguma forma dizem, ainda que sempre pouco, mas mais do que aquilo que eu, em muitas mais acho que conseguirei algum dia.

Talvez me faltem as palavras certas, ou apenas prefira apenas partilhar com as minhas crianças, e apenas com elas, a honra e o privilégio de as ter perto de mim, na minha vida, de as poder abraçar, beijar, sentir, e brincar e rir até cair. Sem medo, apenas o de saber que tudo se perde e tudo se irá transformar. Entretanto vou aproveitar! e rir, e brincar e sentir, até cair.

Quero lá saber das palavras. O tempo é hoje, sem medo de usá-lo e gastá-lo!

Bjos de JdeDamas e até já